0

Faça você mesmo um espelho

Em um espelho o brilho vem de uma fina camada de prata ou outro metal que é aplicada no dorso do vidro. Essa é uma das razões por que bons espelhos custam caro. A prata, aliás, era usada para refletir imagens desde a Roma antiga: a diferença é que, naquela época, o espelho nada mais era que um disco convexo – estanho e bronze eram outros materiais usados. A qualidade da imagem refletida era sofrível e os espelhos eram grandes o bastante apenas para refletir um rosto, mas isso era o melhor que se tinha até a Idade Média.

O espelho que nós conhecemos apareceu por volta do século 12 e se tornou comum 4 séculos mais tarde, quando os vidraceiros de Veneza (Itália) passaram a aplicar um amálgama de mercúrio e estanho sobre uma lâmina de vidro. O processo de fabricação foi aprimorado em 1835 pelo químico alemão Justus von Liebig – também imortalizado pela invenção do cubo de caldo de carne –, que substituiu o amálgama por prata derretida.
Na fabricação (industrial) do espelho moderno, o vidro recebe várias camadas de diversas substâncias químicas (veja abaixo), além de passar por tratamentos térmicos, lavagens e polimentos. Hoje em dia, a camada refletiva de prata geralmente é aplicada na forma de nitrato, um composto líquido desse metal.
Descascando o espelho
Numa lâmina fina, existem várias camadas de produtos químicos que fazem o vidro se tornar espelho
• Resina
• Segunda camada de tinta (protege contra choques)
• Primeira camada de tinta (protege contra alterações químicas)
• Camada passivadora (evita a corrosão da prata)
• Prata
• Camada sensibilizadora (aumenta a aderência da prata)
• Vidro
O vídeo a seguir mostra uma experiência de como fazer um espelho a partir da reação de algumas substâncias químicas. Está em inglês mas não é muito difícil de entender.
http://www.youtube.com/watch?v=hUX_cpFWNso

Fonte: http://www.quimicalizando.com/experiencias/experiencia-faca-voce-mesmo-um-espelho

Kabertollucci

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado